Notícias <<VOLTAR

Emoção marca entrega de placas das Sete Maravilhas

02/03/2016

Muita emoção no descerramento das placas de identificação das Sete Maravilhas de Uberaba. Os sete locais foram eleitos pela comunidade, através do Facebook da Fundação Cultual e de urnas colocadas em escolas e na própria Fundação. O evento de descerramento das placas das Sete Maravilhas integra as comemorações do aniversário “Uberaba 196 anos, daqui pra melhor” e conclui o projeto Patrimônio Ilustrado de Uberaba.

O ato cultural iniciou na Casa da Cultura, com a apresentação de alunos e oficineiros da Escola de Cultura e Arte, da Fundação, apresentação de vídeo institucional da Prefeitura e entrega de tabletes para os sete alunos que primeiro preencheram o Álbum de Figurinha: Leonardo Ferreira Carneiro (Colégio Jean Christophe); Thales Henrique Silva Facury (Colégio Ferreira Gomes); Nicolas Smyth Jacob (Colégio Marista Diocesano); Álvaro Kalil Abrão Filmari (Colégio Jean Christophe); Rafael Vinagre R. Carvalho (Colégio Nossa Senhora das Dores); Roberta Cruz Oliveira (Colégio José Ferreira) e Gabriel Henrique Ferreira (Escola Municipal Frei Eugênio).

O prefeito Paulo Piau destacou o projeto realizado pela Prefeitura de Uberaba, através da Fundação Cultural, porque despertou curiosidade nas pessoas de conhecerem os locais. “Poucas pessoas conhecem a riqueza de Uberaba e o projeto do Álbum de Patrimônio Ilustrado de Uberaba propiciou a oportunidade de as pessoas conhecer e visitar nossas riquezas. Uberaba é uma cidade que tem história, berço de cultura do Brasil Central, e o projeto que elegeu as Sete Maravilhas do município é muito inteligente, porque mobilizou as pessoas. Está de parabéns a Prefeitura de Uberaba, a Fundação Cultural, a Sumayra e toda a comunidade envolvida, que participou da escolha”, afirmou o prefeito.

A presidente da Fundação Cultural, Sumayra Oliveira, destacou a interação dos alunos, pais, escolas e comunidade envolvidas no projeto e agradeceu o Fundo Estadual de Cultura, apoiador do projeto. “Foi uma experiência rica e o álbum transpôs fronteiras, indo para outros países, viajando pelo mundo. Isso é cultura e as coisas acontecem quando se tem envolvimento. É importante pensar ações que envolvem a memória do povo”, disse, lembrando que o projeto não irá acabar e que pode surgiu uma continuidade para refletir sobre a história de Uberaba.

O presidente da Câmara Municipal de Uberaba, Luiz Humberto Dutra, também destacou a iniciativa da Fundação Cultural, através da presidente Sumayra Oliveira e de sua equipe. “Uberaba tem história e uma cidade não existe sem memória. Temos grandes belezas, mas a beleza maior do município é seu povo. No aniversário de Uberaba vamos continuar construindo sua história”, afirmou.

Durante o ato aconteceu a abertura da exposição “Escavações parietais”, com desenhos do artista Paulo Miranda, que está na Galeria de Arte Rachel Machado, na Casa da Cultura, com visitação até o dia 31 deste mês.

As autoridades seguiram em comitiva para as Sete Maravilhas eleitas para o descerramento das placas. Em todos os locais as placas foram descerradas pelo prefeito Paulo Piau, pela primeira dama Heloisa Piau, pela presidente Sumayra Oliveira, por Sebastião Severino que representou o Governo do Estado e por pessoas das comunidades.

Na Catedral Metropolitana, o monsenhor Valmir Ribeiro deu uma verdadeira aula de história sobre Uberaba. Disse que a comunidade ficou muito feliz com a escolha da Catedral. “Recebemos o título com alegria e gratidão.”

Na Capela do Colégio Nossa Senhora das Dores a diretora executiva Marta Beatriz Queiroz e a irmã Maria Helena Brenand Salazar da Veiga Pessoa emocionaram muito e lembraram que o colégio é a casa mãe das Dominicanas e a escolha é o reconhecimento do trabalho realizado em Uberaba há 131 anos. “A Capela completa 85 anos e neste a Ordem Dominicana 800 anos este ano e agradecemos o carinho da Prefeitura e da Fundação Cultural”, disse a Irmã Maria Helena.

No Santuário Nossa Senhora D’Abadia, o pároco padre Jailson Dias dos Santos, agradeceu a inciativa e tudo que ela proporciona e disse que a comunidade acolhe o título com amos.

Na Fundição Artística Sinos Uberaba (Fasu) - Fábrica de Sinos, o proprietário José Donizetti da Silva, contou sobre a história da fabricação dos sinos e a importância de o modo de fazer sinos artesanalmente, costume milenar prevalecer.

Na Igreja Santa Rita – Museu de Arte Sacra, o coordenador do museu, Hélio Siqueira disse ser uma honra receber o título e destacou que o prédio é o único monumento municipal eleito. E revelou que o MAS está servindo de inspiração para a instalação de novos museus.
Na Igreja São Domingos, a comitiva foi recebida pelos frei Luís Antônio Alves, Tonyglei Suawe e Helton Barbosa Damiani , que lembraram que o templo chama atenção pela beleza, e pela raridades das pedras tapiocangas, uma raridade preservada. “São 116 anos de história em Uberaba e é uma alegria ser uma das sete maravilhas de Uberaba”, destacou frei Luis.

Terminado o roteiro, o Santuário Medalha Milagrosa teve a placa descerrada aos olhos das irmãs concepcionistas. O reitor do Santuário, padre Ricardo Alexandre Fidelis, disse que estão honrados e gratos em receber a honraria. “Em 2000 mil anos de Cristianismo, o povo sempre expressa a cultura e imagem de si mesmo e o povo de Uberaba mostrou essa cultura. Isso ficará marcado para as gerações futuras. Agradeço em especial às irmãs concepcionistas, em especial a madre Maria dos Anjos, que começou com a obra em Uberaba e participou da construção do mosteiro, e Maria Antônia. O Santuário sempre é procurado pela beleza e a fé do povo”, revelou padre Ricardo. Madre Maria dos Anjos, com seus 95 anos, contou, com a maior lucidez, a história do mosteiro, desde seu início, na rua Gonçalves Dias, passando pela rua Afonso Rato e o atual mosteiro. “Graças ao povo, graças a Deus somos uma das sete maravilhas, nossa eterna gratidão ao povo de Uberaba”, disse a madre.
 
Uberaba – Para comemorar os 196 anos de Uberaba, a Fundação programou, além do descerramento das placas, as exposições “Escavações Parietais”, com desenhos do artista plástico Paulo Miranda, que estará aberta a visitação na Casa da Cultura, das 8h às 18h; “Periódicos Culturais de Uberaba”, e Mostra de Livros de Literatura de Autores Uberabenses. As mostras podem ser vistas de segunda a sexta, de 8h às 21, e aos sábados, de 8h às 17h, na biblioteca. As três exposições acontecem de 1º a 31 de março.

Nesta quarta-feira, dia 2, quando se comemora os 196 da emancipação de Uberaba, a partir das 11h, na Concha Acústica, a Fundação promove programação multicultural, com a presença das manifestações culturais, apresentação da Orquestra de Viola, teatro e apresentações de cerca de 30 artistas uberabenses e ações de esporte e saúde. A promoção é da Prefeitura de Uberaba, por meio da Fundação Cultural, em parceria com as secretarias de Educação (Semec) e Saúde e Fundação Municipal de Esporte e Lazer (Funed).

<<VOLTAR