MAS - Museu de Arte Sacra
Igreja Santa Rita - Praça Manoel Terra - Uberaba, MG
ver mapa
Horário de Funcionamento Terça a sexta, das 12h às 17h30, e sábado das 8h às 11h30.
Depois de um longo período em que ficou fechada para restauração do local, a igreja retomou suas atividades normais, desta vez com um novo projeto para o acervo de obras sacras, com exposições temáticas. Após a restauração da igreja, o museu ficou fechado por um tempo para reorganização e limpeza do acervo e agora retorna com funcionamento de terça a sexta, das 12h às 18h e aos finais de semana das 8 às 12h.
Dentre as peças do acervo está a escultura em madeira policromada de Santa Rita de Cássia ou Santa Rita das Causas Impossíveis para os mais devotos, sendo a única imagem que restou da capelinha original, erguida pelo advogado Cândido Justiniano da Lira Gama em 1854. A base da imagem foi refeita após a criação do Museu de Arte Sacra, seguindo o modelo original apodrecido. No ano de 2003 a imagem foi devidamente restaurada.
O coordenador do Museu  é o artista plástico Hélio Siqueira, funcionário público municipal há 12 anos e considerado como um artista de múltiplas manifestações. Hélio foi convidado pela Presidência da Fundação Cultural de Uberaba a assumir a coordenação do Museu de Arte Decorativa (MADA) e do Museu de Arte Sacra (MAS). Desde seu surgimento a igrejinha de Santa Rita se tornou ponto obrigatório de visitação e ao longo de sua história serviu de inspiração para fotógrafos, poetas e pintores do Brasil e do Mundo. A igreja é o único prédio tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural em todo o Triângulo Mineiro.
O projeto de reforma prevê a instalação de uma cerca ao redor da igreja e foi realizado pela Casa do Artesão, com incentivos de empresas da cidade, por meio da Lei Rouanet. O orçamento total do projeto de restauração do prédio é de aproximadamente R$ 770 mil.
A Fundação Cultural informa que todos os meses os fiéis podem se preparar para a missa em louvor a Santa Rita, sempre no dia útil mais próximo do dia 22, às 18h30. A celebração é realizada pelo pároco da Igreja São Domingos, Sebastião Ribeiro.
MAS - Museu de Arte Sacra está instalado na Igreja de Santa Rita, construída em Uberaba, no ano de 1854, e tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1939.
O acervo, rico em peças barrocas dos séculos XVIII e XIX, conta a história da Igreja Católica na região. Muitas peças são provenientes de doações da cúria metropolitana, sobressaindo-se as seções de vestes sacras, estandartes de procissões, paramentos, alfaias, imagens e mobiliário. Um dos exemplos de seu valioso acervo é o Conjunto de Casula feito com tecido bordado com linha e fios de ouro, proveniente da França em 1909.   
MADA - Museu de Arte Decorativa
(34) 3338-9409
Rua Maria de Lourdes de Melo Coli, 30 - Estados Unidos - Uberaba, MG
ver mapa
Horário de Funcionamento Terça a sexta, das 12h às 17h30, e sábado das 8h às 11h30.
Localizado em uma belíssima localização, onde antes era uma Fazenda  do ano de 1916. Seu acervo conta com uma biblioteca, móveis e porcelana inglesa da década de 20. É um Museu dedicado à memória da casa, objetos, e costumes da família,  com o intuito de guardar parte importante do patrimônio cultural da cidade de Uberaba.
Voltado para a cultura da família brasileira o MADA aborda diversos segmentos relacionados ao cotidiano da família, entre eles a arquitetura, mobiliário, artes plásticas e decorativas. A obra de Reis Júnior, ex-proprietário do local onde se encontra o Museu constitui a parte principal do acervo do MADA. A primeira obra a integrar o acervo foi sua grande tela "Retirada da Laguna". No interior do Museu a sala de jantar exibe uma réplica da Santa Ceia, de Leonardo da Vinci e um barrado de estilo "art-déco", ambos devidamente restaurados.
Vera Cruz
(34) 3317-1476
Rua São Benedito , 290 - Uberaba, MG
ver mapa
Horário de Funcionamento Das 8h às 18h; De segunda a sexta-feira.
O Teatro Municipal Vera Cruz completou 66 anos no dia 17 de junho, recebe vários espetáculos, e é um dos bens históricos mais queridos e importantes da nossa cidade. O Teatro Municipal Vera Cruz está preparado para receber estes shows, depois da reforma realizada em 2013 para adequá-lo às normas de segurança contra antipânico e incêndio, garantindo, assim, a segurança do público.
 
Histórico
O Cine Vera Cruz foi inaugurado no dia 19 de junho de 1948, graças a empreendimento da Companhia Cinematográfica São Luiz, proprietária dos cines São Luiz, Metrópole e Royal e presidida, na época, por Orlando Rodrigues da Cunha. Com a construção, Uberaba recebeu um dos mais significativos monumentos arquitetônicos. A inauguração do Cine Vera Cruz foi com a exibição do filme Festa Brava e duas películas complementares infantis, um o Concerto do Gato e uma desenho da Metro premiado com Oscar em 1947, em sistema tecnocolor (alta tecnologia para aqueles tempos).

A arquitetura moderna e arrojada é do arquiteto Taddeu Guizio e a fiscalização da construção foi feita por Jaime de Barros e Nicácio Pedro Gonçalves Vidal. Em art decó, com acesso centralizado valorizando a esquina, predominância de cheios sobre vazios, articulações de volume geometrizados e sucessão de superfícies curvas. Os desenhos simples, definidos por linhas sempre muito precisas e os ornatos geométricos ou representações estilizadas de padrões naturais são aspectos do edifício. Localizado na rua São Benedito, 290, bairro São Benedito, o espaço é um dos marcos culturais da cidade. Tombado pelo Conselho do Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba (Conphau) em 2006, o teatro tem espaço para 940 pessoas.

Na década de 50 a sala foi pioneira ao utilizar o recurso Cinemascope, que é uma tela de exibição em tamanho maior e aparelhagem sonora mais potente.

Apesar de o prédio ter sofrido alterações, grande parte da obra permaneceu como o original. Na década de 70 o prédio passou por transformação do cinema em teatro, instalação de ar condicionado e fechamento de janelas laterais, substituição das poltronas de madeira e reforma dos dois banheiros, e tornando-se a principal casa de apresentações de teatro e concertos musicais de renome nacional, sendo inserido na rota dos grandes espetáculos do Brasil. 

A partir de 1981, o cinema foi transformado em Cine Teatro Vera Cruz e passou a ser palco de peças teatrais, espetáculos de dança e shows com artistas locais e de renome nacional.

No final da década de 1990 surgem salas de projeção mais modernas e bem equipadas, instaladas em shoppings onde há uma variedade de opções concentradas no mesmo local, facilidade de acesso e mais segurança. Esse fator, somado à popularização das TVs por assinatura, levaram as grandes salas de exibição à decadência, inclusive com Vera Cruz.

Em julho de 2006, o Vera Cruz foi adquirido pela Prefeitura de Uberaba, quando houve reformas, como no telhado, troca do forro, instalação de iluminação, projetor e sonorização, aquisição de novas cortinas, reformas do piso, das paredes entre outros. Também foi construído calçadão do lado de fora do teatro, com bancos e iluminação especial, de onde saem três rampas de acesso para pessoas portadoras de necessidades especiais. No dia 14 de dezembro de 2007 foi reinaugurado, com o novo nome de “Teatro Municipal Vera Cruz”, passando a receber eventos de diversas tendências culturais.

Em 2011 o Teatro Municipal Vera Cruz recebeu outras melhorias, dentre elas a modernização do sistema elétrico, reparo das cadeiras do teatro e instalação de modernos equipamentos de ar condicionado. O investimento deu mais conforto ao público e tornou o teatro um dos melhores da região. No total foram investidos cerca de R$ 400 mil para reforma e aquisição de equipamentos para o Vera Cruz. 

Segurança
Apesar das reformas, não foram feitas medidas para cumprir normas de segurança, e a presidente da Fundação Cultural, Sumayra Oliveira, decidiu pelo fechamento preventivo do espaço para realizar as adequações necessárias. A medida foi realizada após se detectar que o Teatro Municipal Vera Cruz funcionava sem alvará desde a reinauguração, em 2009. O Corpo de Bombeiros realizou vistoria à época e notificou a Prefeitura sobre o risco de incêndio, mas o teatro continuou em funcionamento sem executar projetos de prevenção a incêndio e pânico exigidos pelo Corpo de Bombeiros. O projeto de prevenção de incêndio para o teatro foi aprovado pelo Corpo de Bombeiros no dia 28 de maio de 2009 e após prazo para adequações, o órgão realizou vistoria no local em fevereiro de 2010 e constatou irregularidades, inclusive a não-execução do projeto preventivo e instalação de hidrante. Também foi detectado comprometimento nos suportes de iluminação e na estrutura que sustenta os aparelhos de ar-condicionado do teatro.

A Fundação Cultural então adequou o Teatro Vera Cruz às normas de segurança contra antipânico e incêndio, com investimento de R$ 80.598,58, garantindo, com isso, a integridade e comodidade do público.

Dentre as intervenções feitas no Vera Cruz para garantir a segurança do público estão a implantação de reservatório de combate e prevenção de incêndio de 15 mil litros com uma moto bomba de 15 CV, dois hidrantes internos e um externo de recalque; instalação de uma central de alarme de incêndio, de luminárias de emergência, barras anti-pânico nas saídas de emergência, de guarda-corpo no mezanino na galeria superior, de corrimões de acesso aos camarins, revisão e instalação de novos extintores de incêndio. As saídas também foram adequadas com sinalização e setas fluorescentes, aberta outra saída de emergência e alarme para incêndios, com portas adaptadas, enfim um sistema moderno com todas as adequações necessárias.

Na véspera de completar 65 anos, no dia 17 de junho o Vera Cruz foi entregue à comunidade com apresentações do espetáculo da Turma da Mônica, do Maurício de Souza, “Era uma vez uma Floresta”, para alunos das escolas públicas de Uberaba. Desta vez com o alvará de funcionamento, garantindo a segurança de todos.

O prefeito Paulo Piau destacou, na reabertura, a ousadia que foi fechar o espaço e fazer as mudanças e lembrou que novas intervenções serão realizadas. “Temos outros projetos em andamento, junto ao Ministério da Cultura e à Secretaria de Estado de Cultura para melhorar mais o local, como uma iluminação mais moderna. Este já é um dos melhores espaços culturais de Uberaba e vai ficar melhor ainda”, ressaltou o prefeito.

A presidente da Fundação, Sumayra Oliveira, destacou a importância das adequações dos itens de segurança. “Tive esta atitude audaciosa e fizemos todas as adequações, sinalizações e agora existe no Teatro Municipal Vera Cruz um sistema moderno, com portas adaptadas, setas, extintores, reservatório, enfim todas as adequações solicitadas pelos bombeiros. Isso mostra a preocupação que esta administração tem para com a população. Agora podemos receber adultos e crianças, por isso decidimos inaugurar com espetáculo para o público infantil e para marcar os 65 anos de inauguração do Cine Teatro Vera Cruz, no dia 19 de junho.”
 
Regulamentação de uso do Cine Teatro Municipal Vera Cruz

Desde outubro de 2009 o Cine Teatro Municipal Vera Cruz desenvolveu uma política de trabalho para abertura de espaço à comunidade para realização de eventos voltados a área cultural.

Todas as solicitações de uso do Vera Cruz deverão ser realizadas através do preenchimento de um requerimento formal, disponível no site da Fundação Cultural e no próprio Cine Teatro, conforme especificado no Decreto Municipal Nº 784/2009.

As regras, procedimentos e condições para utilização do espaço físico e das instalações do “Cine Teatro Municipal Vera Cruz” obedecerão ao disposto neste Decreto.

Os requerimentos deverão ser encaminhados ao escritório do Cine Teatro Municipal Vera Cruz, onde passarão por uma análise e posteriormente encaminhados à Fundação Cultural de Uberaba. Os pedidos serão analisados e respondidos no prazo de cinco (5) dias úteis.

O uso do “Teatro Municipal Vera Cruz” será avaliado conforme a natureza do evento e a disponibilidade da agenda do teatro, desde que os eventos sejam espetáculos de natureza artística e cultural, conforme termos dos arts. 3º a 5º, da Lei nº 10.185, de 2007, e suas posteriores alterações.


 
 
Formulário de solicitação de uso do Vera Cruz
TEU - Teatro Experimental de Uberaba
(34) 3317-1476
Rua Padre Zeferino, 998 - Fabrício - Uberaba, MG
ver mapa
Horário de Funcionamento
Fundado em 21 de abril de 1965, o Teatro Experimental de Uberaba (TEU) foi fomentado por um grupo de pessoas e atores que fizeram teatro em Uberaba por muito tempo, dentre eles Maurílio Cunha Campos de Morais e Castro e Paulo Silva. O TEU funcionou na rua Alaor Prata, depois na rua João Pinheiro e na década de 80 no prédio da Padre Zeferino, onde permanece até hoje.

Em 2003 aconteceu a primeira reforma e adaptação do teatro na rua Padre Zeferino, onde foi denominado "Augusto César Vanucci" e o auditório recebeu o nome do fundador do grupo TEU, Maurílio Castro.

O teatro possui arquitetura do século XX e tem capacidade para receber 140 espectadores. Em 2010 o teatro passou por obras abrangendo desde a pintura externa e interna do prédio até reforma nos camarins, banheiros, reforma na sala administrativa, que passou a ser um espaço dedicado a ensaios, com armários para os grupos e ar condicionado.

O espaço de ensaios está aberto para os grupos artísticos, principalmente para o segmento de artes cênicas, bastando apenas agendar horário. O teatro também estará disponível para eventos de grupos e da comunidade, além de sediar eventos promovidos pela própria Fundação Cultural. Dentre estes projetos está o TEU Show e TEU Jazz, que acontece toda quinta-feira, a partir das 19h30, e “Aos Mestres com Carinho”, homenageando um artista importante da música popular brasileira.

O Teatro Experimental de Uberaba conta com um equipamento de som com 350 wats de potência, som, luz e um projetor com 2.500 ansi-lumens e uma tela de 200 polegadas para atender aos eventos.

O TEU conta com uma programação bem diversificada, com sessões de cinema, apresentações de espetáculos teatrais e musicais.

 
Formulário de solicitação de uso do TEU - Teatro Experimental de Uberaba
Centro Park
Uberaba , MG
ver mapa
Horário de Funcionamento
Com capacidade para abrigar 30 mil pessoas, o Centro de Eventos – Centro Park é vinculado à Fundação Cultural de Uberaba e tem como objetivo principal o de abrigar manifestações artísticas, culturais, musicais, seminários, feiras e congressos.
Composto por quatro pavilhões, o CentroPark fica localizado na Univerdecidade e possui 38 mil metros quadrados. O local conta com estacionamento e desde seu surgimento tem abrigado grandes eventos da prefeitura e de produtores culturais da cidade.
 
Solicitação de Uso
Os interessados em utilizar o CentroPark deverão preencher o Formulário de Solicitação de uso do Centropark e encaminhá-lo à sede da Fundação Cultural , localizada na Rua Tristão de Castro, nº 64, onde passará por uma análise para liberação de uso do espaço. Os pedidos serão analisados e respondidos no prazo de cinco (5) dias úteis.
Formulário de solicitação de uso do Centro Park
Circo do Povo
(34) 3316-0069
Rua Isoleta Maria Adão, esquina com a Itamaracá - Jardim Copacabana - Uberaba, MG
ver mapa
Horário de Funcionamento De acordo com as oficinas.
O Circo do Povo foi reaberto no dia 20 de julho de 2013, todo reformulado, na rua Isoleta Maria Adão, esquina com a rua Itamaracá, no Jardim Copacabana, depois de ser fechado em janeiro, por estar com a estrutura deteriorada.

Houve a reestruturação das vigas metálicas, da lona e de todos os equipamentos pertencente ao Circo do Povo, com investimento de R$ 22 mil na reforma de toda a estrutura para entregar o equipamento cultural remodelado para a comunidade. A reabertura foi marcada pela apresentação musical Canta Brasil com Wassis Models, arte circo com a trupe de malabarista Doom e show da banda Em Cima da Hora.
Diversas atividades estão programas com a comunidade, através de trabalho da Fundação Cultural. A previsão é que o Circo do Povo ficará montado por um tempo no Jardim Copacabana e depois será montado em outro conjunto habitacional ligado ao programa Minha Casa Minha Vida.

Durante este tempo, os moradores do Jardim Copacabana e região poderão conferir uma programação especial no Circo, com artistas e diversas oficinas de informática, artesanato, teatro, arte circense e percussão, através de atividades multidisciplinares mensais, que serão realizadas por instituições públicas e privadas.

O Circo do Povo está com diversas atividades para as pessoas da comunidade e região. Todas as segundas e quartas-feiras acontece a oficina de capoeira, a partir das 19h. Nas terças-feiras o Circo abre espaço para a sétima arte, no projeto Sessão de Cinema, 19h30. Já nas quintas-feiras, a partir das 19h acontece a oficina de teatro. A semana no Circo do Povo fecha as atividades nos sábados com a realização de oficinas de dança, das 9h às 11h e de arte circense, das 13h às 15h.

História – O Circo do Povo foi inaugurado em Uberaba, no dia 4 de abril de 1983, no Costa Teles, no mandato do então prefeito Wagner do Nascimento e desenvolvido pela Fundação Cultural. A inauguração contou com a presença de autoridades, dentre elas o secretário de Estado de Cultura da época, José Aparecido de Oliveira. Desde então o Circo do Povo fez história.

“O Wagner do Nascimento queria popularizar e democratizar a cultura e a ideia inicial era fazer o projeto em uma carreta parque. Em um leilão, o fazendeiro Antônio Kessling, que sempre utilizou toldo de circo para a realização dos leilões, sugeriu ao Wagner o circo, por ser um espaço móvel”, informa Antonio Carlos Marques, do Departamento de Cultura da Fundação Cultural e que trabalha com o projeto Circo do Povo desde seu início.

Assim, o Circo do Povo foi montado com atividades culturais, cursos profissionalizantes e até com direito a reuniões políticas, onde surgiram projetos importantes para Uberaba, como a criação de duas escolas, uma no bairro Abadia e outra no Boa Vista. Também levou apresentações “clássicas” para a população, como a peça Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto, e show com Hermeto Pachoal, de música e balé clássicos, jazz, além de manifestações populares, como folia de Reis, capoeira e catira, sempre mostrando a riqueza e diversidade cultural do país.
Foi palco do primeiro encontro internacional de Ludoteca, promovido pela Federação Latino Americana de Ludoteca (Flalu), da primeira brinquedoteca e da primeira gibiteca do Brasil. 

A princípio, o então prefeito Wagner pretendia criar um espaço itinerante, com atrações circenses que tivessem um caminhão como palco, mas percebeu que a utilização da lona seria mais viável principalmente por ser garantia do show no caso de chuva. Diversas atividades foram desenvolvidas em diversos bairros, como apresentação de palhaços, espetáculos de dança, teatro e música. 

O Circo do Povo é um projeto que tem grande abrangência social. É um espaço de lazer, entretenimento e diversão para toda a família, além de funcionar como um lugar que deve acrescentar algo à sociedade, já que todos têm acesso à cultura. O Circo do Povo dava oportunidade das comunidades conhecerem não só a arte circense, mas também peças teatrais, shows musicais, apresentações artísticas culturais e de se profissionalizarem. O objetivo da Fundação Cultural e da Companhia Habitacional do Vale do Rio Grande (Cohagra), que reabriram o espaço em parceria, é continuar com as atividades e a tradição do Circo do Povo.
Concha Acústica
Praça Afonso Pena - Centro - Uberaba, MG
ver mapa
Horário de Funcionamento
A Concha Acústica tem 43 anos de fundação. Inaugurada em abril de 1971, a Concha Acústica foi construída na praça Afonso Pena – Praça da Concha Acústica – para atender à fervilhante cultura uberabense da época, com grupos de teatro atuantes e politizados. Com sua inauguração, a Concha Acústica se consolidou como o grande espaço cultural alternativo de Uberaba, com espetáculos que marcaram época na história do município.

No local havia uma mangueira secular, que morreu na década de 60, deixando o espaço vago. Como muitas pessoas costumavam tocar e realizar serestas embaixo da mangueira, após a queda da árvore foi construída a Concha Acústica, que se tornou palco de grandes encontros culturais em Uberaba.

Entretanto, a realização de espetáculos foi diminuindo e a Concha chegou a ficar abandonada. Na Administração Paulo Piau, a presidente da Fundação Cultural, Sumayra Oliveira, atendeu a solicitação da comunidade e da classe artística para melhoria na Concha Acústica. Assim, a Fundação Cultural, junto com a Secretaria de Infraestrutura e Limpeza Urbana, restaurou os camarins e o interior da praça, iluminação, encanamento de água e melhorias nos banheiros. A Concha foi entregue à comunidade reformada em abril de 2013, com o show da banda brasiliense Surf Sessions, feito em parceria com o Ministério da Cultura.

A Concha Acústica voltou a ser espaço de atividades, voltando aos tempos de esplendor, com a realização de projetos culturais como o Domingo na Concha – realizado todos os domingos das 11h às 14h – e a Seresta na Concha – realizado todas as segundas terças-feiras de cada mês. Também acontecem comemorações, como o Dia do Rock, Dia da Seresta, Dia do Teatro, Dia Internacional do Jazz, apresentações natalinas, dentro outros eventos.

No dia 29 de junho deste ano, a Concha Acústica fechou novamente para uma revitalização maior. Foram trocadas as portas dos banheiros, colocadas portas no camarim, espelho, instalada pia com coluna, colocado revestimento na parede e piso nos banheiros, pintura nos bancos e na parte interna, colocados holofotes para iluminar o palco e a plateia, e trocada toda a fiação elétrica. Esta parte foi feita em parceria com a Prefeitura de Uberaba, que cedeu a mão de obra, e a Fundação Cultural, na aquisição do material.

Também foram colocados alambrados metálicos tubo e tela eletro soldada, revestida na cor verde para garantir mais segurança ao público. A Fundação colocou, ainda, estrutura em box truss em alumínio para palco, com cobertura semelhante a de palco space para dar mais comodidade aos artistas. Na arquibancada foram colocadas três tendas para dar comodidade e maior tranquilidade para a população.

A reinauguração da Concha Acústica, após a revitalização, aconteceu no dia 31 de agosto com dois grandes shows. A banda uberabense Banzai acompanhou Kiko Zambianchi e a também uberabense banda Os Baltazares acompanhou Tico Santa Cruz. Foi uma forma de a Fundação Cultural prestigiar os artistas uberabenses, abrindo o palco para eles, acompanhando os cantores de circuito cultural. Milhares de pessoas prestigiaram a reabertura da Concha em show que ficou na história de Uberaba.

“A Concha se consolidou como espaço cultural e fizemos a reforma para oferecer melhor estrutura de palco aos artistas. Temos vários eventos na Concha Acústica, que se consolidaram, como o Domingo na Concha e Seresta na Concha, e entendemos que a reforma era necessária para receber melhor os artistas e o público, além de montar estrutura própria”, observa a presidente da Fundação Cultural, Sumayra Oliveira.

A Concha Acústica fica na Praça Afonso Pena, conhecida como Praça da Concha Acústica, que começa na Rua Artur Machado e termina, em cima, à direita, onde começa a Rua Bernardo Guimarães e, à esquerda, no princípio, na Rua Marques do Paraná.


 
CEU das Artes
Lourival Pedro Couto - Residencial 2000 - 38080-400 - Uberaba, MG
ver mapa
Horário de Funcionamento
Inaugurado no dia 19 de julho de 2014, o Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU das Artes) é um projeto do Governo Federal criado para integrar, num mesmo espaço físico, programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços socioassistenciais, políticas de prevenção à violência e inclusão digital, de modo a promover a cidadania da comunidade local e é um espaço de formação artística e descobrimento de talentos. O programa é a ampliação do projeto das antigas Praças dos Esportes e da Cultura (PECs) e compõe o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) no Eixo Comunidade Cidadã.

O programa é fruto de uma parceria do Ministério da Cultura e da Fundação Nacional de Artes (Funarte) e é uma alternativa cultural para pessoas de todas as idades que vão ter oportunidade de ter acesso à cultura, literatura, dança, cinema e teatro, integrando cultura, esporte e lazer.

A obra foi construída com recursos do Governo Federal e da Prefeitura de Uberaba, perfazendo investimentos na ordem de R$ 2.041.950 e abriga dois edifícios multiuso, dispostos numa praça de esportes e lazer, com 3 mil m² de área construída. O CEU das Artes é composto por duas quadras de futsal, uma quadra coberta de vôlei, um campo de futebol, academia, pista de skate, playground e área de caminhada. No bloco cultural há uma biblioteca, um telecentro com 12 computadores, e salão especialmente construído para aulas de teatro, música e dança.

A gestão do CEU das Artes é compartilhada entre a Fundação Cultural, Secretaria de Esportes e Secretaria de Desenvolvimento Social com previsão de atender três mil pessoas por mês. Entretanto, a coordenação geral do equipamento está sob a tutela da Fundação Cultural. Além da gestão administrativa e de recursos humanos, a Fundação Cultural se responsabiliza pelas ações socioculturais, como oficinas de teatro, dança, desenho, audiovisual, grafite, capoeira dentre outros.

Já as secretarias de Desenvolvimento Social e de Esporte e Lazer são responsáveis pela atividade proposta respectivamente. As ações de Desenvolvimento Social acontecem no Centro de Referência de Assistência Social (Cras), com atividades de atendimento psicossocial, atendimento individual e coletivo, atuação do Projovem, Bolsa Família, Serviço de Proteção e Atendimento integral à Família (Paif), dentre outros. As ações de esporte como futebol de salão e de campo, vôlei, basquete, skate são de responsabilidade do CEU, através da Secretaria de Esportes.

O CEU das Artes é composto dos Núcleos Desenvolvimento Social e Cultural e de Esporte e Lazer e pelos Equipamentos e Espaços que potencializam as políticas públicas do município de Uberaba, a constituição da rede de proteção social e os princípios da cidade educadora.

O CEU das Artes fica na rua Lourival Pedro Couto - Residencial 2000. 
 
Confira as oficinas realizadas no CEU das Artes pela Fundação Cultural
Oficina de Grafite: terças-feiras, das 18h às 21h
Oficina de Capoeira: segundas e sextas-feiras, das 18h30 às 20h
Oficina de Violão: quartas-feiras, das 15h às 17h
Oficina de Jazz – dança: terças-feiras, das 17h às 18h30 e quintas-feiras, das 9h30 às 11h
Oficina de Desenho: sábados, das 14h às 16h
Oficina de Percussão: sábados das 15h às 17h
 
 
Superintendência de Bibliotecas Públicas Municipais
(34) 3332-1900
Rua Alaor Prata, 317 - Centro - Uberaba, MG
ver mapa
Horário de Funcionamento Ver Bibliotecas de Bairro abaixo do texto
 
Biblioteca Pública Municipal “Bernardo Guimarães” situa-se à rua Alaor Prata, 317, no centro da cidade, compondo com a Igreja Santa Rita e o Mercado Municipal um conjunto de espaços culturais que mostram as faces do gosto uberabense pela arte,religião, comércio, conhecimento e lazer.

Ocupa uma área de 3000m² cercado por acolhedores jardins de onde se avista Igreja São Domingos, edificação do início do século XX, toda construída em pedra tapiocanga, encontrada na região de Uberaba. Com mais de 65.000 exemplares, o seu acervo foi se constituindo ao longo de seus 107 anos, com a efetiva contribuição dos cidadãos uberabenses,sensíveis à importância de zelar pelos valores humanos que os livros abrigam., tendo uma área coberta de 1961m² e um pátio cultural.

Com a missão de organizar e difundir conhecimentos disponíveis, promover o acesso ao livro, às linguagens da arte e da cultura, as ações da Superintendência de Bibliotecas Públicas se pautam pelo incentivo à leitura e busca de informação para a construção da autonomia cidadã que respeita, compreende e valoriza a diversidade humana.

Biblioteca Pública Municipal “Bernardo Guimarães” – Rua Alaor Prata, 317 – Centro – (34) 3332-1900 – Aberta de 7h15 às 21h45 de 2ª a 6ª e aos sábados da 7h15 às 16h45
Biblioteca CEU das Artes – Residencial 2000 – Aberta das 8h às 17h – de 2ª a 6ª
Biblioteca Antônio Carlos Marques – Cemea Abadia – Av. Orlando Rodrigues da Cunha, 3.317 - Vila São Vicente – Aberta das 13h às 21h, de 2ª a 6ª
Biblioteca Antônio Bernardes Neto – Cemea Boa Vista – Av. São Paulo nº 1.101 – Amoroso Costa – Aberta de 8h às 17h, de 2ª a 6ª